quarta-feira, 13 de abril de 2011

Super entrevista com o Mau para a Otherside!

No site da Otherside Produções já está disponível a entrevista com o Mau da OEVM. Para quem é preguiçoso, colamos o texto todo aqui embaixo ;D

Lembrem-se a parceria OEVM + Otherside se concretiza mais uma vez no dia 07/05 no Pátio São Pedro no Taverna Rock II. Não vai perder!
_________

Maurício Victorino, o “Mau” da Orquestra Elétrica conta sua história.

TR – Mau como foi que tudo começou para o OEVM?

MAU - A OEVM está junta desde 2009. Foi no fim do ano que a formação se estabilizou com Filipe Loreto nas baquetas, Igor de Holanda no baixo, Ricky Cavalcanti e Paulo Umbelino nas guitarras e eu na voz.

O engraçado é que eu tinha acabado de me mudar de São Paulo para o Recife e tive muita sorte de conhecer Ricky na internet. Depois fui descobrir que, de um jeito ou de outro, foi Ricky que conheceu cada integrante separadamente e juntou a banda.

No início pensamos em tocar apenas covers - de Bon Jovi e ACDC, a The Outfield e Capital Inicial - mas logo percebemos que a química da banda estava ótima e partimos para nossas próprias composições.

Em 2010, lançamos nosso EP, uma demo na verdade, com 4 sons. Agora, estamos em fase de pós-produção de nosso primeiro álbum completo, todo mundo trabalhando duro. Neste meio tempo, nosso parceirão Paulo Umbelino se desligou da OEVM por questões pessoais, mas nós ainda mantemos a chama acesa com a formação de 4 integrantes.

Pessoalmente, sempre fui um defensor do rock nacional, e sonho em ver um cenário brasileiro forte, com bandas fazendo sucesso e influenciando gerações. O Brasil tem muitas bandas de rock pesado, hard rock e metal, mas a maioria absoluta escreve em inglês e consequentemente mira no mercado externo mais do que no interno. O que a OEVM propõe é exatamente o contrário: buscar as raízes do rock e metal nacionais e cantar melodias do estilo de vida roqueiro em bom português. Queremos mostrar que o headbanger tupiniquim pode ter orgulho de viver no Brasil, de ser latino-americano e gritar na belíssima língua de Camões.

Escreva o que estou dizendo, haverá um dia que não vamos mais precisar olhar com inveja o cenário europeu e norte-americano. O metal brasileiro vai se reerguer!

TR - Como foi receber o convite para o TR II?

MAU - Bem, tocamos no Halloween no Pátio Sonoro em 2010, uma produção da Otherside. Na época fomos os azarões, a banda pequena, mas a receptividade do público foi boa e a produção nos elogiou após nossa apresentação. Acho então que uma coisa levou à outra. Deram-nos uma oportunidade e viram que nós demos o nosso máximo e isso rendeu frutos, esta nova parceria com a Otherside é um deles. Muito obrigado!

TR - Qual a expectativa para o Festival?

MAU - A expectativa é a melhor possível! Estamos com um repertório bem legal, com sons escolhidos a dedo e esperamos que a festa seja ainda maior que o Haloween em 2010. Força rapaziada roqueira!

TR - O que esperar da cena local em 2011?

MAU - Nos últimos meses, tivemos contato com muitas bandas boas daqui: Kriver, Black Flash Licorice, Bull Clash, Crabbleg, etc. Vendo essas bandas com um trabalho cada vez mais sólido nos faz pensar que o rock está fervilhando na capital pernambucana. Nós, da OEVM, queremos fazer parte deste trem que está acelerando.

TR – Qual sua a mensagem ao público?

MAU - Pessoal, o TR II vai apresentar um banquete aos fãs de rock e metal e vocês não vão se arrepender de chacoalhar a cabeça com a gente. Esperamos vocês lá! Fiquemos juntos! Um cenário forte cria grandes artistas! Viva o rock!

Um comentário:

Luis Salsicha disse...

hey mau! ve de fazer uma gravação, nem q seja de audio, desse festival... queremos bootlegs!!! =D